Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Quarta-feira, 11 de outbro de 2017

As crianças podem se apaixonar mas não namoram

Compartilhar:  
Criança não namora, nem de brincadeirinha

É tão bonito ver como duas crianças de pouca idade e de sexo oposto ficam o dia todo brincando, se abraçam e querem estar juntos. As crianças também tem afinidades, mas isso não quer dizer que elas se enamoram. Elas podem ter preferencias quanto aos amigos, mas alguns pais podem achar até que elas se apaixonam. E se perguntam: meu filho ou minha filha está namorando? Existe enamoramento na infancia? O que é que lhes ocorre emocionalmente? As crianças não namoram nem de brincadeirinha

A afinidade que existe entre as crianças

Há quem pensa que são os próprios adultos quem catalogam uma amizade com afinidade entre um menino e uma menina de amor e de namoro infantil, quando na realidade estamos falando de amizades normais para um bom desenvolvimento evolutivo e que se deve dar nome a esses sentimentos para que não confundam os termos. Pessoalmente eu acredito que as crianças sim, são capazes de se enamorarem ou pelo menos sentirem um vínculo mais forte que o normal por outra igualmente.

É certo que quando têm dois anos elas gostam de brincar em duplas, mas não identificam o gênero já que isso só ocorrerá no final da primeira infância, quando aparece a identidade de gênero. Quando as crianças têm identidade de gênero, elas preferem estar com iguais do seu mesmo sexo, unicamente porque compartilham interesses comuns ou caráter e porque é desse modo que se sentem bem.

É a partir dos 9 ou 10 anos de idade que as crianças podem começar a experimentar sentimentos de reciprocidade nas relações com os demais iguais, e por isso, nessa etapa, podem aparecer também ‘os melhores amigos’. E eu posso dizer que as crianças se apaixonam, entendendo esse amor como um forte vínculo afetivo com outra pessoa habitualmente da sua mesma idade.

Mas, independentemente de se é amor ou se unicamente estão sentindo de maneira intensa, se o ser filho tem 6 ou 10 anos e se apaixona ou acredita que está, você deverá apoiá-lo e dar-lhe toda a sua compreensão e jamais utilizar frases do tipo ‘isso é só uma besteira’ porque poderia prejudicar seus sentimentos, e, sobretudo, você não deve se preocupar porque isso é um processo natural.

Além disso, é importante que você saiba agir para que seu filho se sinta compreendido e respeitado. Por exemplo, se ele te diz que tem uma namorada, não ria dele, nem muito menos o ridicularize. Faça-o ver e sentir que você está ali para escutar seus sentimentos e aconselhá-lo.

Mostre respeito por seus sentimentos, pela sua intimidade e pelo seu espaço pessoal. Além disso, não conte aos outros em forma de diversão o que ele te conta na intimidade, já que poderia perder a confiança em você.

Assim que, sem sombras de dúvidas, as crianças podem se apaixonar, sobretudo a partir dos nove anos de idade e com isso você deverá se alegrar e respeitar seus sentimentos, pois no final você verá que é uma etapa que passará e é sadio que a desenvolvam adequadamente para que possam se conhecer melhor emocionalmente.