Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Sexta-feira, 06 de julho de 2018

Homem-Formiga e a Vespa é a maior estreia da semana

Compartilhar:  
Último filme da Marvel a ser lançado esse ano, Homem-Formiga e a Vespa é a principal atração desta quinta-feira. Após ser condenado a dois anos de prisão por ter quebrado o tratado de Sokovia em Capitão América: Guerra Civil, Scott Lang (Paul Rudd) foi obrigado a se aposentar temporariamente do posto de Homem-Formiga. Até que o surgimento de uma nova ameça faz com que ele se junte novamente com o Dr. Hank Pym (Michael Douglas) e sua filha Hope (Evangeline Lilly).  "Com um humor excessivo e poucas cenas de ação, além de muito já ter sido divulgado pelo material de divulgação, sobra a Homem-Formiga e a Vespa o talento cômico de Paul Rudd, que brilha especialmente quando seu trabalho corporal é requisitado pelas mudanças de comportamento do personagem. No mais, trata-se de um filme burocrático que segue à risca a fórmula da primeira aventura do herói, sem ousar um milímetro seque...".  "Baseado obra mais conhecida da escritora e cartunista argentina Maitena, Mulheres Alteradas logo de cara mostra que visa bater de frente com noções retrógradas sobre a forma como as mulheres já foram vistas pela sociedade e pelo cinema. Mesmo com algumas protagonistas à beira de um ataque de nervos, a intenção é de driblar a noção de que se trata de um filme sobre personagens histriônicas".  "Por fim, Custódia efetua uma alternância preciosa de pontos de vista: seria óbvio ficar apenas do lado dos sofredores, seria compreensível tentar dividir o tempo entre o pai e a mãe. [...] No final, não existem monstros, e sim pessoas doentes, possessivas, que distorcem a noção de amor. O belíssimo filme francês retira dos relacionamentos abusivos a sua aura de fetichismo, de “excesso de amor” para revelar a gravidade do desmoronamento afetivo".  "Em um país com problemas estruturais, Estrada de Sonhos mostra que falar sobre transporte é falar sobre sua função social, sobre acesso a cidadania e direitos constitucionais da população. O filme serve para denunciar (ainda que de forma tímida) como as políticas públicas são movidas por interesses econômicos e critica o descaso das autoridades pela preservação da memória — como são melancólicas as tomadas das ruínas de uma importante estação da Estrada de Ferro Mauá, a primeira do Brasil".