Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Terça-feira, 12 de junho de 2018

Passo a passo até a dor aparecer: o que acontece na sua boca quando surgem cáries

Compartilhar:  
Você sabia que os restos de açúcar que sobram na sua boca se tornam comida de bactéria? Para as cáries surgirem são necessários quatro itens: dentes, bactérias, resíduos alimentares e tempo para que os microrganismos atuem, transformando os açúcares em ácidos que, por sua vez, atacam a superfície do dente. Esse processo de desmineralização acontece todo o tempo e é algo absolutamente normal, mas a falta de cuidados pode fazer com que as cáries acabem vencendo a batalha na sua boca. O organismo se regenera, mas você precisa colaborar A reação em cadeia para a formação da cárie é um processo dinâmico: toda vez que ingerimos açúcar o pH da cavidade oral é reduzido, e, aos poucos, a boca consegue realizar a remineralização. “O surgimento da cárie está ligado à frequência com que a pessoa consome açúcar e o tipo de açúcar ingerido. A frequência é importante pois se houver uma ingestão muito regular a boca não vai conseguir se remineralizar a tempo, e quanto mais tempo o açúcar ficar em contato na boca pior”, salienta Marco Manfredini (CROSP 27268), secretário geral do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP). As bactérias fazem parte da sua boca, queira você ou não Nossa boca é colonizada naturalmente por centenas de tipos de bactérias. Os dois microrganismos que estão mais associadas às cáries são a Streptococcus mutans e os lactobacilos. É importante lembrar que o conjunto de microrganismos muda de acordo com os hábitos de cada pessoa, como escovação adequada e ingestão de açúcar. Corrosão pode levar anos para acontecer O ácido produzido pelas bactérias corrói o esmalte dental, parte externa dos dentes e mais mineralizada do corpo humano. “O tempo que uma cárie leva para se manifestar depende uma série de fatores, como a ingestão de açúcar, higiene, se a pessoa faz um acompanhamento odontológico, se realiza a ingestão de flúor. Os fatores de risco para cada pessoa são variáveis, por isso é importante ter consultas regulares para avaliação de quanto em quanto tempo você vai precisar voltar ao consultório”, explica o dentista. Cuidado com as manchas brancas O estágio inicial de uma desmineralização que não foi tratada é uma disfunção na coloração do esmalte, como manchas brancas em cima do dente. Dependendo do tipo de cárie a localização das manchas muda. A dor geralmente aparece quando a lesão atinge profundamente a dentina (camada logo abaixo do esmalte) ou quando trata-se de uma cárie na raiz dos dentes, que por estar mais próxima aos nervos, provoca a dor ao atingi-los. Não confunda erosão ácida com cárie Manfredini alerta que muitas vezes as pessoas acham que estão com cárie, mas estão com erosão ácida. “Erosão ácida também é um processo de degradação da parte superficial do dente, mas os fatores que levam a cada doença são diferentes. A erosão acontece em função principalmente da dieta (ingestão frequente de bebidas ácidas, como refrigerantes) ou de problemas como bulimia e anorexia (por causa do vômito)”, salienta o dentista. Os tratamentos para as duas disfunções são diferentes. Existem diferentes tipos de cáries As cáries podem ser classificadas de acordo com vários aspectos. Dependendo do local em que se manifestam e se são primárias ou secundárias: primária quando a pessoa nunca teve cárie e secundária quando o paciente volta a ter a lesão em um dente já restaurado. Em certos casos não é preciso realizar tratamento A cárie também pode ser rasa (quando atinge só o esmalte e a parte mais superficial da dentina) ou profunda, quando penetra mais na dentina (casos em que a pessoa sente dor). A doença também pode estar ativa ou inativa, uma vez que em alguns casos o próprio organismo consegue paralisar a cárie. Restauração pode ser feita com diversos materiais Quando a cárie está em estágio mais avançado é preciso fazer a restauração do dente. O procedimento acontece da seguinte forma: a cárie é removida e é feita a inserção de um material odontológico para devolver a função e a estética do dente. O tipo de material pode variar, dependendo da extensão da lesão e também do preço (o amálgama é mais barato, por exemplo). Já em estágios iniciais, pode-se tratar uma cárie apenas com aplicação local de flúor, acompanhamento periódico e bons hábitos de higiene. Fatores sociais econômicos e culturais podem influenciar no surgimento da cárie O controle da dieta, uma boa higiene diária (escovar os dentes após as refeições, especialmente antes de dormir e usar o fio dental) e consultas regulares ao dentista podem evitar a cárie. Mas outros fatores também influenciam no surgimento da doença, no casos de crianças frequentar ou não a creche, por exemplo, uma vez que nas escolinhas existe uma rotina de escovação e uma dieta mais balanceada.