Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Terça-feira, 05 de dezembro de 2017

Por planejamento antecipado, Galiotte promete contratações pontuais

Compartilhar:  

O presidente Maurício Galiotte compareceu a um evento da Federação Paulista de Futebol nesta terça-feira, onde comentou alguns dos principais assuntos que permeiam este final de temporada do Palmeiras. Sobretudo, o dirigente falou a respeito da postura do clube na janela de transferências que acaba de se iniciar, já que o Alviverde tem sido o grande protagonista do mercado nos últimos anos.

“Participando integralmente, estamos debatendo todos os nomes. Importante o elenco ter as características que o Roger (Machado) gostaria. Ideia é antecipar planejamento, com contratações pontuais, diferente do que ocorreu no ano passado”, afirmou o mandatário, que já acertou a chegada de três reforços para 2018: o zagueiro Emerson Santos, que estava no Botafogo, o lateral Diogo Barbosa, destaque do Cruzeiro, e o meia Lucas Lima, do rival Santos. Há ainda a expectativa de um acordo com o goleiro Wéverton, do Atlético-PR, a ser firmado nos próximos dias. O interesse em Rafinha, lateral do Bayern de Munique, porém, foi negado.

Se referindo aos grandes investimentos feitos pelo Palmeiras em janelas anteriores, Galiotte fez questão de distinguir as circunstâncias em que o clube se encontrava em tais períodos, com relação ao momento atual. “Contratamos número grande jogadores em 2015, depois de um momento complicado em 14. Este ano, 17, tivemos 13 ou 14 contratações em um elenco de 32. Não existe número absurdo. Fizemos grandes contratações, com valores significativos, por isso expectativa foi grande”, apontou.

Por fim, fazendo um balanço da temporada do Verdão, o mandatário enxerga que os fracassos no primeiro semestre acabaram por prejudicar o ano do time. “A questão não foi só o foco na Libertadores, nas competições de mata-mata. Tivemos uma falta de atenção e, com isso, deixamos de render no Brasileiro, principalmente no primeiro turno. Acabamos pagando caro”, opinou ele, não assegurando a permanência de Alberto Valentim, que terminou o Brasileirão como interino à frente da equipe e foi convidado a ser assistente técnico de Roger Machado no projeto de 2018.