Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome



Quarta-feira, 14 de março de 2018

Raí fala em dor por demitir Dorival e cobra elenco: A bola está com eles

Compartilhar:  

© Fornecido por Areté Editorial S/A

Demitir Dorival Júnior foi uma decisão que Raí ainda lamenta. Mas o diretor executivo de futebol confia na contratação de Diego Aguirre e faz uma cobrança ao elenco do São Paulo: a bola para provar a qualidade que o ex-meia tanto aponta está com eles, dentro de campo.

- O São Paulo tem um grupo qualificado, que pode e vai melhorar. Sabemos que faltam peças, mas cheguei no fim da temporada, não dá tempo de fazer gestão de elenco. Temos carências e estamos de olho no mercado, mas temos condições de brigar no Paulista. Obviamente, depende da resposta deles. É um grupo em quem confio, falei isso para eles, que tem qualidade e bom número para a temporada toda. Mas vamos cobrar ao máximo. Agora, a bola está com eles - disse Raí ao Sportv, lamentando a dispensa de Dorival na sexta-feira.

- (A dor) É muito grande. Sofremos antes, mas, nas circunstâncias... Friso a elegância, a hombridade e o reconhecimento impressionantes do Dorival como pessoa. A dor é sempre a mesma, mas teve a postura dele, estando aqui todo dia às 7 da manhã, dedicado, trabalhando, trocando ideias do que faltava e poderia melhorar.

Entre essas possibilidades de melhora, a nova aposta é Diego Aguirre. Raí reforçou ter certeza de que o uruguaio não deixará o clube para comandar a sua seleção caso seja convidado depois da Copa do Mundo, e que procurou referências para acertar contrato até dezembro com o ex-atacante, seu companheiro no São Paulo em 1990.

- Depois da Copa, com certeza, o Aguirre não vai embora. É um cara super-atualizado, com métodos de treinamento interessantes, agregador, sabe mexer com o grupo. Eu o conheci lá atrás e o acompanhei de longe. Mas, além da unanimidade entre nós, buscamos referências com quem trabalhou com ele e foram as melhores, de um cara top. E estava livre no mercado - comentou.

- É alguém em quem acreditamos porque busca atualização contínua, é agregador e, ao mesmo tempo, cobra. Nos times em que passou, colocou um padrão de jogo interessante. Saiu do inter na semifinal da Libertadores, chegou às quartas da Libertadores (com o Atlético-MG), conquistou títulos no Uruguai... E conhece o futebol brasileiro e traz ideias de fora. É uma decisão calculada.

MSN