Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Quarta-feira, 11 de julho de 2018

Atlético-PR divulga carta defendendo Fernandinho: No Brasil, é sempre assim: a derrota precisa de um culpado

Compartilhar:  

O Atlético-PR divulgou nesta terça-feira uma carta assinada pela assessoria de imprensa do clube defendendo Fernandinho, volante da seleção brasileira, tido por alguns como o "vilão" da eliminação nas quartas de final da Copa do Mundo para a Bélgica.

"Mas no Brasil, é sempre assim: a vitória é de todos e a derrota precisa de um culpado, alguém para ser condenado, difamado, colocado no paredão. O que são essas pessoas? Torcedores? Apaixonados pelo futebol? Definitivamente, não. São os que esperam ansiosamente por um revés para, através dele, revelar seu caráter débil. A derrota, assim como a vitória, faz parte do esporte. Perder é normal e a gente se conforma. A gente levanta e segue adiante", diz a carta no site oficial do clube.

Fernandinho, de 33 anos, jogou na base e começou sua carreira no Atlético-PR, onde ficou entre 2001 e 2005, antes de ir para o Shakhtar Donetsk.

O Atlético-PR também enfatizou sua defesa ao ex-atleta do clube nos casos de racismo que sofreu depois da derrota por 2 a 1 para a Bélgica.

"O que não é normal e não dá para se conformar é com o preconceito e o racismo e a maneira como você e sua família foram tratados por uma minoria ignorante, retrógrada e que, essa sim, envergonha o Brasil de todas as maneiras. Pode ter certeza que é por causa de gente assim que o nosso país está do jeito que está. Gente que não constrói nada, mas esperam a oportunidade para destruir o que os outros fazem, com muito esforço e entrega", segue.

O volante do Manchester City fez o gol contra que abriu o placar, levou um cartão amarelo e errou passes considerados fáceis para um jogador de seu calibre.

Veja abaixo a carta na íntegra:

Fernandinho, a gente se conhece muito bem. Desde que você começou a mostrar seu excelente futebol nos treinos e nos gramados, defendendo e honrando a camisa rubro-negra, passamos a te admirar. Pela sua humildade, dedicação e principalmente pelo seu caráter e honradez. E, ao lado da maioria dos brasileiros, estamos tristes e envergonhados.

E não é pela eliminação do Brasil na Copa do Mundo. Isso é normal, coisa da bola, que a gente conhece tão bem, não é mesmo? O Brasil merecia ir mais longe pelo bom time que formou e no qual você ocupa um papel fundamental.

Mas no Brasil, é sempre assim: a vitória é de todos e a derrota precisa de um culpado, alguém para ser condenado, difamado, colocado no paredão. O que são essas pessoas? Torcedores? Apaixonados pelo futebol? Definitivamente, não. São os que esperam ansiosamente por um revés para, através dele, revelar seu caráter débil. A derrota, assim como a vitória, faz parte do esporte. Perder é normal e a gente se conforma. A gente levanta e segue adiante.

O que não é normal e não dá para se conformar é com o preconceito e o racismo e a maneira como você e sua família foram tratados por uma minoria ignorante, retrógrada e que, essa sim, envergonha o Brasil de todas as maneiras. Pode ter certeza que é por causa de gente assim que o nosso país está do jeito que está. Gente que não constrói nada, mas esperam a oportunidade para destruir o que os outros fazem, com muito esforço e entrega.

Mas, Fernandinho, pode acreditar: são poucos. A maioria de nós, brasileiros, está ao seu lado e solidária a você, pois nos sentimos profundamente ofendidos e indignados.

A gente podia dizer “não liga não, Fernandinho”, mas tem que ligar, sim. E mais do que isso: tem de denunciar e combater com o suporte de todos nós. E enquadrar essa gente na forma da lei. O Brasil, como nação, precisa definitivamente virar essa página do atraso, do preconceito, do oportunismo vil.

O Atlético, o time do povo, de torcedores e ídolos de todas as raças, crenças, gêneros, está ao seu lado e de sua família para o que você precisar. A gente tem muito orgulho de você ter despontado daqui para o mundo.

Nada é mais democrático do que o esporte e nenhum esporte é tão plural quanto o futebol. E a porta aqui está sempre aberta para você, pois a casa de todos os atleticanos também é sua.

O mais fraterno abraço dos funcionários, dirigentes e toda a nação de torcedores do Clube Atlético Paranaense.