Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Quinta-feira, 04 de janeiro de 2018

Mercedes diz que Hamilton pode igualar hepta de Schumacher: Vamos fazer o possível para lhe dar um carro para isso

Compartilhar:  

© Fornecido por Grande Prêmio

A passagem vitoriosa de Lewis Hamilton pela Mercedes vem sendo marcada por quebra de recordes. Tetracampeão mundial com o título logrado em 2017, o britânico igualou lendas como Alain Prost e Sebastian Vettel e, ao longo da temporada, superou Ayrton Senna e Michael Schumacher para tornar-se o detentor do maior número de poles da história. Mas Toto Wolff acredita que seu piloto pode ir muito mais além e chegar aos sete títulos, empatando assim com Schumacher, o maior campeão da história da F1.

 

“Sua performance foi incrível e não lhe falta motivação, mesmo depois de quatro títulos”, afirmou o chefe da Mercedes em entrevista ao jornal austríaco ‘Kurier’. “Sinto que ele vê pela primeira vez que os sete títulos de Michael Schumacher estão ao seu alcance. Vamos fazer tudo o que for possível para lhe dar um carro para fazer isso”, garantiu o dirigente austríaco, que dá mais um indicativo da renovação de contrato com Lewis. A expectativa é que Mercedes e Hamilton assinem um novo vínculo com duração até 2020. O atual contrato vai até o fim desta temporada.

 

 

Na visão de Wolff, depois de conquistar o título por antecipação em 2017 e sem toda a tensão dos últimos anos com Nico Rosberg, Hamilton começa o novo ano bem mais tranquilo. “Definitivamente, é menos estressante do que no ano passado, mas nunca se sabe o que vai acontecer nos próximos dias. Você nunca sabe o que Lewis está pensando”, comentou o chefe da Mercedes.

O fato é que Wolff acredita que a Mercedes vai ser ainda mais forte neste ano. E a força também passa por Niki Lauda, presidente não-executivo da equipe, que neste ano optou por abrir mão do posto de comentarista na emissora alemã RTL para se dedicar somente ao posto de dirigente da equipe tetracampeã do mundo.

“Foi uma decisão muito pessoal, e seu cargo no rol de dirigentes da Mercedes nada tem a ver. Mas é bom para nós porque agora ele tem mais tempo, ainda que ele seja sempre o primeiro a chegar no paddock. Quando Niki chega ao motorhome, o pessoal da limpeza ainda está trabalhando”, comentou.

 

Diante de mais uma temporada com o desafio de se manter no topo, a Mercedes entra como a equipe a ser batida. E Toto Wolff garantiu que trabalho não vai faltar para continuar como o melhor time da F1.

“Claro que esperamos que Ferrari e Red Bull sejam perigosas nesta temporada, e nosso carro nem sempre foi fácil de lidar. Estamos somente melhorando isso. Se tivermos sucesso, posso prometer que vamos ser muito rápidos novamente”, concluiu o chefe da Mercedes.

MSN