Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Terça-feira, 12 de junho de 2018

Com recorde, Vettel derrota Mercedes e Red Bull e conquista pole do GP do Canadá. Líder da F1, Hamilton sai em quarto

Compartilhar:  

E Sebastian Vettel conseguiu – e com direito a recorde de pista. Depois de uma sexta-feira discreta e de ser batido por Max Verstappen no último treino livre, o ferrarista resgatou forças para cravar o melhor tempo da fase final da classificação e ficar com a pole-position do GP do Canadá. É a quarta vez em 2018 que o #5 vai sair da posição de honra e a 54ª da carreira na F1.

E a definição do grid começou nebulosa neste sábado (9). Ao menos para Romain Grosjean. Assim que o francês deixou os boxes da Haas, o motor Ferrari estourou, puxando uma nuvem de fumaça branca pelo pit-lane. O piloto sequer teve chance e logo teve o carro recolhido, colocando um ponto final às suas ambições no grid. O Q1, portanto, começava quente. 

 

Sebastian Vettel logo deu início à sua primeira tentativa de volta veloz e, em cima de pneus hipermacios, cravou 1min12s110. Mas aí o companheiro Kimi Räikkönen surgiu 0s060 mais rápido e assumiu a ponta provisoriamente. Atrás do alemão, Kevin Magnussen apareceu em terceiro, à frente de Pierre Gasly, Lance Stroll, Sergey Sirotkin, Brendon Hartley, Charles Leclerc e Marcus Ericsson.

Aí a sessão viu uma breve disputa entre os dois pilotos da Ferrari na ponta. Até que Räikkönen melhorou ainda mais com 1min11s725. Vettel aparecia 0s099 mais lento. Valtteri Bottas era o quarto, com Esteban Ocon em quinto. Lewis Hamilton, enquanto isso, cometeu um erro durante a primeira tentativa de giro cronometrado e teve de tirar o pé depois de uma escorregada antes da entrada do hairpin. Assim, o inglês só conseguiu uma volta mais limpa na sequência, completando em quinto. Nesta altura, Max Verstappen era o quarto. O top-10 tinha ainda Ocon, Carlos Sainz, Sergio Pérez e Nico Hülkenberg.

Mas o holandês passou por um susto com Marcus Ericsson. O sueco bateu no muro e chegou a acertar o #33 de leve. A sessão acabou ali para o piloto da Sauber.

 

Já na zona da degola, o piloto da casa, Sroll, vinha em 16º, à frente de Leclerc, Sirotkin e Ericsson. Quem seguia na bolha era Fernando Alonso. Mas o espanhol conseguiu escapar da primeira eliminação, assim como o companheiro Vandoorne.Nos minutos finais, Stroll errou na freada da última curva e não teve como tentar entrar no Q2, sendo limado imediatamente. Sirotkin também não melhor sorte. Quem também saiu foi Gasly. Ericsson e Grosjean ficaram com a última fila.

O TOP-3 EM ESTRATÉGIAS DIFERENTES 

É a segunda fase da classificação que revela as táticas de cada equipe. E as respostas sobre o uso do ultramacio começaram a aparecer, assim como as estratégias diferentes de cada um dos times da ponta. Enquanto Ferrari e Mercedes decidiram andar com os compostos roxos - ou seja, deixando claro a intenção de largar com o ultra. A Red Bull foi mesmo com os hipermacios com seus dois pilotos.Neste cenário, Verstappen se pôs mais veloz novamente. O holandês veio em uma volta limpa para estabelecer 1min11s472. Bottas foi quem mais se aproximou nesta fase, apenas 0s042 mais lento. Vettel foi 0s052 pior e Räikkönen, 0s148 de diferença. Quem ficou mais longe foi Hamilton - 0s268 mais lento. Uma vez mais, ficou nítido o enorme equilíbrio entre as três ponteiras, apesar da distinta escolha de pneus.A parte final do Q2 ainda viu Vettel, Räikkönen, Bottas e Hamilton saírem com os compostos hipermacios, mas ninguém melhorou suas marcas. Quem deu um passo à frente mesmo foi Ricciardo, que saltou de sexto para primeiro, com 1min11s434.Hülkenberg também conseguiu uma boa volta no fim para se colocar em sétimo. Sainz, Ocon e Pérez também foram capazes de assegurar a classificação para o Q3. Enquanto isso, Magnussen, Hartley, Leclerc, Alonso e Vandoorne acabaram limados.

QUEM TEM MAIS GARRAFA VAZIAA terceira e última fase da classificação viu as Mercedes abrirem a contagem. Com três parciais perfeitas, Bottas se colocou na ponta, com 1min10s857 - o melhor tempo do fim de semana até aquele momento. Räikkönen se colocou em segundo, seguido de Hamilton. Mas aí Vettel passou ainda melhor: 1min10s776. Aí a Red Bull mandou seus dois pilotos, mas a velocidade das duas primeiras fases da classificação não apareceu. Ricciardo fez apenas o sexto tempo, enquanto Verstappen foi quarto. Dessa forma, a ordem após as primeiras tentativas era: Vettel, Bottas, Räikkönen, Verstappen, Hamilton, Ricciardo, Hülkenberg, Sainz, Ocon e Pérez.