Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Terça-feira, 10 de julho de 2018

Gasly culpa Honda por dificuldades em Silverstone: Foi muito difícil competir nas retas

Compartilhar:  

A Toro Rosso, que causou boa impressão no começo de 2018, teve um GP da Inglaterra dos mais difíceis. Além dos problemas crônicos de Brendon Hartley, a equipe viu Pierre Gasly sofrer para acompanhar o rendimento de equipes rivais. Para o francês, o motivo é um só: as dificuldades de ser competitivo com o motor Honda nas longas retas de Silverstone.

“O carro estava muito bom, mas com retas tão longas perdemos uma quantidade louca de tempo”, disse o francês após o GP da Inglaterra. “Já sabíamos que em uma pista dessas, fazendo as curvas 1 e 9 de pé cravado, iríamos sofrer. Perdemos 0s9 em comparação com Force India e Sauber, então foi muito difícil competir”, seguiu.

A falta de potência contrasta com a eficiência aerodinâmica do carro. “Com os dados do GPS percebemos que estamos muito bem nas curvas e somos mais rápidos, mas nas retas estamos realmente mais lentos. Obviamente não tivemos ritmo. Não por causa do carro, mas sim do motor”, apontou.

Gasly cruzou a linha de chegada em décimo – mas foi punido por um incidente com Sergio Pérez no fim da prova e caiu para 11º, ficando sem pontos.

Curiosamente, Gasly teve seu melhor resultado em 2018 em um circuito de alta velocidade. No Bahrein, o francês mostrou competitividade com o conjunto Toro Rosso-Honda e terminou em quarto. A parceria entre as duas partes é uma das novidades da temporada e, após resultados considerados positivos, motivou a aliança entre a Red Bull e a montadora japonesa.

A próxima etapa da F1 em 2018 é o GP da Alemanha, marcado para 22 de julho.