Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Quarta-feira, 14 de março de 2018

Blogueira Danila Guimarães diz que vai devolver dinheiro após denúncias de omissão de união para receber pensão

Compartilhar:  

(Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

Na declaração, ela diz que usava o benefício para ajudar a mãe e que não sabia ter cometido erro ao não declarar união estável.
A blogueira e empresária Danila Guimarães postou em suas redes sociais um desabafo e esclarecimento após denúncia de que teria omitido união estável para continuar recebendo pensão pela morte do pai. Na publicação feita na noite de terça-feira (14), ela desabafa sobre o que sentiu após as acusações. Ela também afirmou que vai devolver os R$ 732.456,88 e que não sabia estar fazendo nada de errado. “Sexta-feira, meu mundo caiu. Fui acusada de ter sido desonesta. Fiquei em choque, insegura, sem reação. Não conseguia entender como aquilo chegou a esse ponto”, publicou.

 

No texto, ela começa explicando que teve a pensão interrompida em 2017. Na ocasião, ela disse que consultou um advogado que a instruiu a enviar ao Ministério da Fazenda uma declaração de “ausência de união estável” para resolver a questão.

Ainda segundo Danila, mesmo dizendo que não poderia assinar porque vivia com o companheiro, o profissional teria garantido que “para caracterizar união estável teria que ter um documento no cartório ou uma decisão judicial”.

A empresária disse ainda que fez uma declaração de renda e que o mesmo advogado afirmou que “só importava os valores tributáveis”. Danila disse que, segundo ele, a divisão de lucros não contava e que o único valor que precisaria declarar seria do “pró-labore de R$880”.

Após a denúncia do Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) por uso de documentos falsos e estelionato, a blogueira procurou outro advogado. Após nova instrução, ela declarou que “não sabia” que havia feito algo incorreto.

“União estável precisa ser reconhecida judicialmente ou possuir um contrato em um cartório. Isso para todos os fins, menos para o fim previdenciário"

  "Minha declaração deveria ter constado união estável. Eu não sabia”, afirmou.

 

Ainda conforme a declaração, ela vai pedir um empréstimo para quitar a dívida que tem com a Justiça Federal.

“Aquele dinheiro que direcionava para minha mãe, ajudando-a, achando que estava sendo correta, honesta e usufruindo de um direito que tinha herdado do meu pai, vai ser integralmente depositado na Justiça Federal. Não o tenho todo, mas estou junto ao banco para empréstimo, pois é um problema que me envolvi sozinha e q assim vou resolver com o meu trabalho”, publicou.

Blogueira de moda, Danila tem mais de 606 mil seguidores nas redes sociais. Logo após a denúncia, ela chegou a publicar uma nota de esclarecimento dizendo que não sabia das investigações. No texto, ela também agradeceu ao apoio que recebeu dos seguidores. Na publicação, ela também disse acreditar na Justiça.

A denúncia do MPF informa que desde a morte do pai, em janeiro de 1978, a mulher passou a receber uma pensão. Segundo o órgão, ela tem direito ao benefício desde que tenha “o estado civil de solteira e não exerça cargo público de natureza permanente”.

Ainda conforme o documento, a empresária tem união estável com um empresário desde 2012, mas teria omitido a informação do poder público para continuar recebendo o benefício. Segundo cálculo do MPF, desde então ela teria “embolsado R$ 732.456,88”.

O órgão disse ainda que pediu à blogueira declaração que negasse a união estável e comprovasse valores recebidos. Segundo a denúncia, ela apresentou um documento “falso, consistente em declaração de que não teria constituído, até aquela data, união estável como entidade familiar”.

Por fim, a denúncia informa ainda que Danila apresentou outro documento falso ao declarar renda de R$ 880 mensais. Conforme o MPF, apresentando essa documentação ela estaria “omitindo a renda obtida por distribuição de lucros da pessoa jurídica da qual é sócia-administradora, e com venda direta de mercadorias, que constituía a maior parte de seus rendimentos”.

 

Fonte: G1