Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Segunda-feira, 05 de fevereiro de 2018

Peixes também sofrem de depressão. Aprenda como prevenir

Compartilhar:  

(Foto: MirekKijewski/istock e Ilustração: Thiago Almeida/SAÚDE é Vital)

Especialistas estão convencidos de que esses animais também podem sofrer com a melancolia. Mas existem saídas

À procura de outros animais para substituir roedores em pesquisas, o neurocientista Julian Pittman, da Universidade Troy, nos Estados Unidos, começou a estudar peixes-zebra há seis anos. Desde então, ele tem observado que essa e outras espécies de fato possuem uma atividade cerebral bem parecida com a dos seres humanos. Tanto é que os bichinhos nadadores podem até ser acometidos pela depressão.

“Percebi que isolamento social e alteração de apetite são comuns nesses casos”, conta Pittman. Outro sinal de que algo não vai bem é quando o peixe fica muito tempo praticamente parado na metade inferior do aquário, indicando desânimo e desinteresse em explorar diferentes áreas. “A falta de espaço e estímulos é o principal problema nesse sentido”, alerta o ecologista comportamental Culum Brown, da Universidade Macquarie, na Austrália. Antídoto contra a melancolia

Saiba o que um aquário precisa ter para propiciar dias felizes aos peixes

Casa cheia

Só tome cuidado com a superpopulação: um recipiente de cerca de 50 litros é indicado a até três peixinhos dourados, por exemplo.

Pedras e plantas

Reproduzir o fundo do mar faz qualquer espécie se sentir em casa. Além da redução do estresse, pesquisas apontam benefícios cognitivos.

Cavernas

Exposição direta à iluminação artificial intensa ou mesmo aos raios de sol gera bastante incômodo. Ofereça alternativas de abrigo. Alegria na terra e no ar

Cães, gatos e pássaros são outras vítimas de depressão, decorrente de fatores como solidão, abusos e inatividade. “O tratamento abrange mudanças na rotina e antidepressivos“, explica a veterinária Ceres Faraco, professora do Centro Universitário Ritter dos Reis, em Canoas (RS).

Saúde é Vital