Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome

Quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Segurar o espirro pode causar problemas graves?

Compartilhar:  

(Foto: Eduardo Svezia/SAÚDE é Vital)

Após um homem ter rompido a faringe ao segurar um espirro, verificamos as consequências de travar esse ímpeto natural
Na semana passada, o relato descrito em um periódico científico de um homem que rompeu a própria faringe ao tentar conter um espirro causou furor na internet. Seria possível que acidente semelhante acontecesse assim, sem mais nem menos, com qualquer um? E quais seriam outras possíveis consequências? Calma: SAÚDE veio responder suas dúvidas.

“O quadro em questão é raro”, explica Luci Hidal, otorrinolaringologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Mas isso não quer dizer que você está liberado para reprimir seu instinto natural de soltar um atchim!

“Ao segurar o espirro, aumenta-se a pressão no ouvido, nariz e garganta. E isso pode se tornar mais grave em quem apresenta alguma alteração anatômica”, complementa a especialista. Eis algumas consequências elencadas pela doutura:

  • Dor de cabeça
  • Alteração na orelha média, no nervo óptico e na retina
  • Hemorragia ocular
  • Ruptura em um vaso, o que pode causar um AVC
  • Mesmo esses sintomas são bem incomuns. E a situação fica ainda mais tranquila caso, na hora de espirrar, você tape só a boca ou, então, apenas as narinas.

    “Mas todos deveriam espirrar naturalmente, colocando a mão na frente da boca e do nariz para evitar que gotículas acabem contaminando outras pessoas ao redor”, sugere Luci.

    Depois de romper a faringe, o homem que foi vítima do próprio espirro passou uma semana internado em um hospital britânico, sendo alimentado por tubos e tomando antibiótico na veia. Pelo sim pelo não, não fique com vergonha e deixe o espirro sair!

  • Saúde é Vital