Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.


Clique aqui e baixe o Mozila Firefox, é gratis.

Mozila Firefox Google Chrome

Mozila Firefox Google Chrome



Segunda-feira, 11 de março de 2019

Sexo tântrico: uma prática de conexão, intimidade e expansão

Compartilhar:  

ISTOCK

O sexo tântrico surgiu do tantra ou tantrismo, ou seja, um conjunto de técnicas de meditação que buscam o aumento da reconexão consigo mesmo e com o outro. Dessa forma, mais do que penetração, ele trabalha com as energias sexuais, sendo um instrumento de expansão da consciência. Além disso, a massagem é um de seus elementos principais, que permite a abertura para diferentes possibilidades.

Ainda assim, muitas pessoas têm uma noção distorcida sobre o que é o sexo tântrico. Imaginam rituais cheios de movimentos complicados ou impossíveis. Entretanto, a prática é recomendada para todos os casais, sem limitações de idade ou preferências sexuais. A única condição é disponibilidade para novas sensações. Entenda mais sobre o assunto com a consultora em Educação Sexual, Lauren Souza. Sexo tântrico: características

ISTOCK

O sexo tântrico é uma filosofia de vida milenar, em que todo o universo está interligado e entrelaçado. Inclusive, segundo Lauren Souza, “tudo é energia e nosso corpo nada mais é do que uma energia condensada”. E para fazê-la circular, o tantra usa o corpo como instrumento.

Nele, a penetração não é necessária, isso porque os orgasmos podem acontecer com base apenas na circulação dessa energia presente entre os parceiros. O resultado? Qualidade e intensidade superiores em relação ao que estamos acostumados.

Além disso, o sexo tântrico não é considerado como uma religião, sendo apenas uma forma de buscar a consciência e a iluminação por meio do corpo. Por isso, sua prática é baseada principalmente no respeito, conduzindo nossos desejos sexuais para propósitos mais elevados.

Para a consultora em Educação Sexual, “ele possibilita a renovação da visão a respeito da sexualidade, do amor e da espiritualidade”. Nele, a ejaculação é elemento secundário, ou seja, o importante mesmo é que os casais desfrutem da presença um do outro e do momento de entrega. Benefícios do sexo tântrico

  • Proporciona a aceitação e a consciência corporal
  • Possibilita orgasmos múltiplos
  • Alivia a ansiedade
  • Equilibra as energias do corpo
  • Ajuda no conhecimento da própria sexualidade
  • Contribui para a utilização dos cinco sentidos
  • Quebra paradigmas e tabus sexuais
  • Ensina a respirar melhor
  • Diante disso, é notável que são muitos os benefícios e eles vão para além dos prazeres físicos ou corporais. Ou seja, a parte psicológica também é constantemente alimentada por esse conjunto de práticas. Logo, as melhorias são observadas tanto nos homens, quanto nas mulheres. Isso porque o sexo tântrico é baseado em cumplicidade, em parceria. Como praticar o sexo tântrico

    Não existe uma receita simples, que sempre termine em orgasmo. Entretanto, no sexo tradicional valorizamos a performance e outros elementos secundários, como a beleza. Nesse caso, esses são detalhes que desviam nossa atenção, impedindo o acesso ao corpo em sua totalidade. Por isso, no sexo tântrico, é importante focarmos na experiência como um conjunto. 1. Quebre conceitos

    ISTOCK

    Primeiramente, aquiete a mente e conheça seu corpo. Dessa forma, o foco precisa estar nas sensações, não em fantasias ou pensamentos que tirem a atenção do momento. “O sexo tântrico é atencioso e deve ser feito sem pressa”, comenta Lauren Souza.

    Leia também: Pompoarismo: saiba como triplicar o prazer na hora do sexo 2. Explore o corpo

    ISTOCK

    Toque o corpo do seu parceiro ou da sua parceira a fim de transmitir sensibilidade para partes que geralmente ficam esquecidas. Segundo a consultora em Educação Sexual, “a ideia é sensibilizar o todo por meio de toques suaves e relaxantes”. 3. Respire

    ISTOCK

    Essa é uma das práticas mais importantes do sexo tântrico. Considerando isso, Lauren Souza orienta que a inspiração deve ser bastante profunda, enquanto a expiração precisa ser bem relaxada. Um exercício complementa o outro, potencializando sensações. 4. Entenda a filosofia

    ISTOCK

    Isso porque ela propõe maior conexão com o seu ser, principalmente expandindo a consciência e a percepção do corpo. “Dentro da terapia tântrica, você vai aprender a lidar com sua sensações e a trazer intimidade para dentro da sua vida”, finaliza a consultora.

    Em síntese, o sexo tântrico é uma prática presente e consciente que foca no processo, não nos objetivos. Nele, a sexualidade não aparece atrelada a fantasias ou erotismos, mas a uma conexão com outra pessoa em níveis muito mais íntimos. Agora, explorar essas possibilidades pode demandar certa paciência e persistência? Talvez! Mas se vale a dica: invista na ideia!

    www.dicasdemulher.com.br