Quarta-feira, 13 de março de 2019

Madson responde Ceni após cobrança por excesso de peso

Compartilhar:  

© Fornecido por Fundação Cásper Líbero

Ceni segue sem aprovar a forma física de Madson

Uma das principais contratações do Fortaleza neste início de temporada, Madson se apresentou acima do peso. Vindo do Al-Khor, do Qatar, o meia de 32 anos de idade já treina junto ao elenco tricolor há mais de dois meses, mas segue sem ser utilizado pelo técnico Rogério Ceni, que o colocou em campo durante apenas 27 minutos na vitória sobre o Barbalha, no último dia 6 de fevereiro. Para piorar a situação, o jogador ainda sofreu uma lesão na panturrilha, mas não deixou de ser cobrado por estar fora de forma.

“O Madson, primeiro que está lesionado. Ele tem de voltar para treinar novamente, a parte física, fazer uma nova pré-temporada. Veio um pouco acima do peso. Parou sete, dez dias, precisa aprimorar a parte física em dois turnos se for de interesse dele jogar pelo Fortaleza”, afirmou Ceni, nesta segunda-feira.

A resposta de Madson à cobrança do ex-goleiro não demorou a aparecer. Utilizando as redes sociais, o atleta manifestou respeito ao treinador, mas questionou a afirmação feita.

“Eu cheguei ao Fortaleza no dia 3 de janeiro, e exatamente nessa foto aí, que irei postar novamente, eu já estava muito mais magro e dentro daquilo que foi estipulado para mim. A foto que tá rolando nos sites de notícias, realmente é a primeira foto tirada minha assim quando cheguei. Eu estava sim acima do peso, porém essa foto já tem 2 meses. Sobre a condição física, eu fiquei esse tempo todo treinando, é impossível um jogador de futebol não estar condicionado com esse tempo todo de treinos diários e intensos. Eu não vim aqui para ganhar o dinheiro que muitos na redes estão falando, eu vim para fazer parte do time Fortaleza”, escreveu, junto à uma foto de um de seus primeiros treinos pelo Leão.

“Desde a primeira entrevista me mostrei disposto e com muita vontade de jogar pro Fortaleza, e isso ainda não mudou. Então, antes que criem alguma polêmica sobre esse meu texto, eu deixo bem claro que sempre respeitei a opinião e a decisão dos treinadores com quem trabalho. Se a opção do treinador é não me escalar, eu respeito e continuarei trabalhando para quando tiver a oportunidade, as coisas serem favoráveis ao meu favor e a favor do Fortaleza. E se a oportunidade não chegar, continuarei trabalhando porque sou funcionário do Fortaleza. Desde já agradeço aqueles que me apoiam”, completou.

Sem Madson, que segue sob os cuidados do departamento médico, o Fortaleza volta a campo no próximo domingo, em novo clássico contra o Ceará, desta vez válido pela sexta rodada da Copa do Nordeste. Na Arena Castelão, a bola rola a partir das 18h (no horário de Brasília).

MSN