Segunda-feira, 15 de abril de 2019

Torcedores do Figueirense imitam avião após derrota para a Chape;

Compartilhar:  
Em jogo da semifinal do Campeonato Catarinense, dois torcedores fazem gestos em alusão à tragédia de novembro de 2016
Após a derrota do Figueirense para a Chape, na semifinal do Campeonato Catarinense, neste domingo, dois torcedores alvinegros imitaram aviões em alusão à tragédia aérea que envolveu o clube alviverde em novembro de 2016 e vitimou 71 pessoas na Colômbia. Em campo, o Verdão venceu por 1 a 0 e se classificou para a final do estadual.

O fato foi flagrado por torcedores da Chape que deixavam a Ala Oeste do estádio. Os visitantes, em uma arquibancada totalmente isolada, ouviram provocações pela derrota e responderam com os gestos de um avião caindo.

Não é a primeira vez que a tragédia aérea é usada como "provocação". No ano passado, torcedores do Nacional tiveram atitude parecida e fizeram gestos imitando a queda de uma aeronave na Arena Condá, após duelo válido pela Libertadores. Uma dos envolvidos foi expulsa do quadro de sócios do clube uruguaio.

Em abril de 2017, em uma partida de handebol em Portugal, torcedores do Porto usaram o fato para provocar a torcida do Benfica. Os gritos de "Quem dera, se o avião da Chapecoense fosse do Benfica".

No mesmo mês, a torcida do Criciúma entoou cantos de "ão ão ão, abastece o avião” em uma partida entre Chapecoense e Tigre, pela última rodada do Campeonato Catarinense. Na época, a diretoria do clube tricolor repudiou a atitude.

  Figueira promete punição

 

Em nota, o Furacão repudiou a atitude dos dois torcedores e afirmou que, após a identificação, serão excluídos do quadro social do clube e de qualquer ação ligada ao Figueirense.

O Figueirense Futebol Clube repudia o ato desrespeitoso promovido, após a semifinal deste domingo (14), por dois indivíduos presentes no setor de visitantes da Arena Condá, em Chapecó. A tragédia com a Chapecoense deve ser tratada com o devido zelo.

O clube ratifica, portanto, que atitudes como essa são isoladas e não representam, em nada, o reconhecido padrão da gigante torcida do Furacão.

Dentro da esfera administrativa, os participantes, após a identificação, serão banidos do quadro social, caso sejam membros, e também de qualquer ação e local vinculados ao Alvinegro.

  Presidente da Chape lamenta casos repetidos

 

O Verdão do Oeste também se posicionou em nota do presidente do clube, Plínio David de Nês Filho. O mandatário classificou o fato como "inaceitável" e de total "incredulidade".

Gostaríamos de afirmar que o fato é isolado, mas a verdade é que ele tem se repetido em inúmeras ocasiões, de maneira extremamente infeliz e cruel: Nesta tarde, na Arena Condá, a torcida do Figueirense protagonizou um ato inaceitável. Após a partida entre Chapecoense e Figueirense, os torcedores da equipe da capital fizeram gestos que imitavam aviões caindo. Uma atitude que vai além de qualquer rivalidade e que não fere apenas ao clube, mas principalmente aos familiares das vítimas e a todos que, de alguma forma, sofreram com a perda de tantas pessoas queridas.

O sentimento é de incredulidade - pois é inadmissível que um fato tão triste seja utilizado como “arma de provocação” - e, acima de tudo, de repulsa. Esperamos que as atitude cabíveis sejam tomadas e torcemos para que a insensibilidade e o desrespeito não façam mais parte de um espetáculo tão bonito como o do futebol. Fonte: G1