Quinta-feira, 16 de maio de 2019

No apagar das luzes, Fluminense arranca empate com Cruzeiro no Maracança

Compartilhar:  
© Lucas Merçon / Fluminense No apagar das luzes, Fluminense arranca empate com Cruzeiro no Maracança

O jeito Fernando Diniz de jogar futebol segue sendo colocado em prática pelo Fluminense, mas o resultado, como na maior parte da temporada, continua não sendo o esperado. A exemplo do que foi na última semana contra o Botafogo, o Tricolor Carioca recebeu o Cruzeiro no Maracanã, pressionou, martelou... mas saiu atrás do placar. No último minuto, porém, o jovem João Pedro deixou tudo igual: 1 a 1.

Com o empate no último minuto, a briga por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil segue em aberto. O jogo de volta acontecerá no Mineirão, no próximo dia 5 de junho. A bola é do Flu

O controle das ações foi tricolor nos primeiros minutos de jogo no Maracanã. Como de costume, os comandados de Fernando Diniz começaram a partida valorizando a posse de bola, trocando passes no campo ofensivo em busca de espaços na defesa cruzeirense.

A Raposa, por sua vez, adotou a cautela no confronto. A equipe celeste montou uma linha defensiva compacta, e, quando tinha a posse, buscava sair em velocidade pelos lados. Estratégia que não funcionou, pois o Flu aumentou sua marcação no ataque e dificultou a saída de boa mineira.

Com mais de 70% de posse de bola, as jogadas eram todas concentradas pelo lado esquerdo de ataque tricolor, quase sempre com a participação de Léo Artur. O Cruzeiro mal conseguia ter a bola em seus pés, e sequer finalizou na primeira etapa. Rodolfo foi mero figurante nos primeiros 45 minutos.

Mesmo com tamanho domínio, a equipe das Laranjeiras, mesmo tentando ampliar seu repertório ofensivo, não conseguiu furar o paredão azul, que, mesmo tendo trabalho na primeira etapa, não correu nenhum risco. Banho de água fria e justiça no fim

Na volta do intervalo, o panorama não mudou muito. Pelo contrário. O Fluminense seguiu insistindo, e o Cruzeiro, sempre que dava, através do goleiro Fábio, buscava amarrar ainda mais o confronto.

Mas o futebol... Ah, o futebol. Ele prega peças. O time visitante, que sequer havia chegado ao gol de Rodolfo, foi o responsável pela abertura do placar no Maracanã.

Aos 12, no primeiro ataque cruzeirense no duelo, Pedro Rocha aproveitou bobeada da defesa carioca e bateu firme. O arqueiro do Flu ainda tocou na bola, mas não evitou o tento celeste.

A resposta tricolor veio aos 15. Luciano recebeu na área e colocou para dentro. Seria o gol de empate, mas o centroavante estava em posição de impedimento. Nada feito.

A partir daí, começou o drama da equipe mandante. Ganso deu passe para Ewandro, que isolou. Depois, o jovem Marcos Paulo pegou sobra na entrada da área e carimbou o travessão. A pressão foi intensa, mas parecia que a rede não iria balançar.

Até que, no último minuto, já no abafa, Ewandro mandou bola na área, Matheus Ferraz ganhou no alto e, na sobra, o jovem João Pedro fez valer a justiça no futebol. Tudo igual no Maracanã

  ogol.com.br/MSN