Quarta-feira, 22 de maio de 2019

Com cifras milionárias envolvidas, TAS irá analisar ação do Santos contra Neymar e Barcelona

Compartilhar:  
A ida de Neymar para o Barcelona em 2013 foi bem conturbada, já que o Santos denunciou o clube espanhol, alegando que o mesmo descumpriu as leis da Fifa em 2011. Este caso será tratado nesta próxima quarta-feira (22) pelo TAS (Tribunal Arbitral dos Esportes).

Conforme publicado pelo site “UOL“, trata-se do caso com maiores cifras tratados pela corte. A ação do alvinegro praiano está em valor acima dos 60 milhões de euros. No banco dos réus estarão Fifa, Neymar, Barcelona e a empresa N&N, comandada pelo pai do jogador.

O Santos recebeu 17,1 milhões de euros pela ida de Neymar para o clube catalão. Mas este valor não ficou integralmente com o clube paulista, que precisou dividir o valor com as empresas que também tinham os direitos econômicos do jogador. Ocorre que posteriormente foi revelado um contrato informando que o atleta teria recebido 58 milhões de euros pela transferência.

Um dos contratos mantidos em sigilo mostrava um pagamento no valor de 2 milhões de euros para a empresa N&N, para que a mesma monitorasse promessas santistas que poderiam interessar ao Barcelona. Fifa e TAS

Em 2015, o caso foi levado à Fifa pelo Santos, mas em 2017 a entidade considerou que não havia base para esta reclamação do clube paulista. Pela falta de resolução, o caso chegou ao TAS. De acordo com reportagem, os advogados contratados pelo Santos irão basear seus argumentos em como o time se sentiu traído e como as leis que deveriam cuidar desta negociação foram deixadas de lado.

Pelas cifras e quantidade de pessoas envolvidas, é muito improvável que o TAS tenha alguma decisão do caso nesta audiência desta quarta. Inclusive, por conta do que está sendo tratado, até os participantes têm sido mantidos em sigilo.

Entre os réus, teremos Barcelona e Neymar mantendo que a transação foi dentro da legalidade esportiva. Já a Fifa irá defender sua decisão de 2017.

A defesa do jogador deve basear seus argumentos com uma carta assinada em 2011 por Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, mandatário do Santos na época. Nesta carta, o Santos autorizava Neymar a conversar com outros clubes, mas garantindo que a transferência ocorresse apenas a partir de 2014 e respeitando o contrato do clube com o atacante.

MSN