Segunda-feira, 24 de junho de 2019

Do Dortmund à China, mas sem Brasil: revista lista cinco possíveis destinos para Daniel Alves

Compartilhar:  
© Getty Images Daniel Alves comemora gol pela seleção
O anúncio do desligamento de Daniel Alves do PSG abriu a temporada de especulações quanto ao próximo destino do jogador da seleção brasileira.   

A revista francesa France Football decidiu listar, também, as hipóteses do futuro ambiente de trabalho do jogador, dentre as quais, nenhuma equipe brasileira é citada.

Veja quais as opções aventadas pela publicação:

1. Voltar ao Barcelona: Desde os primeiros momentos após o anúncio da saída de Dani do PSG, sua volta ao clube catalão é considerada como hipótese possível. A rádio RAC1 da Catalunha foi a primeira a considerar o retorno. Pesam contra ele, segundo a France Football, seus 36 anos de idade. Pesam a favor as glórias dele pela equipe e ausência de um lateral direito incontestável no plantel de Valverde. E, de quebra, uma volta sua pode auxiliar e se auxiliar de uma também volta do amigo Neymar ao clube. Veja mais no MSN Brasil: Há vida pós-Marta, Formiga e Cristiane na Seleção? (ESPN)Marta agradece torcida após eliminação: Cabeça erguida (Placar)Messi completa 32 anos; o que falta ele conquistar? (Goal.com)Daniel Alves não descarta retorno para o Brasil (Goal.com)

 

2. Manchester City: Há dois anos, City e PSG disputaram palmo a palmo a contratação do jogador, que acabou optando por Paris. Mesmo com 36 anos, Alves seria útil a Guardiola, que o dirigiu por muitos anos no Barcelona, já que o técnico espanhol acredita muito no rodízio de jogadores e certamente o preservaria para tirar dele exibições em alto nível. 

3. Inter de Milão: Aos poucos, a Série A vai reconquistando protagonismo, em especial com a chegada de CR7, na última temporada, à Juventus. Neste movimento, a Internazionale pode ter no jogador um bom valor para conduzir o time na Champions League, uma competição que o brasileiro conhece muito bem e cuja experiência ele poderia transmitir aos colegas.   

4. Borussia Dortmund: O vice-campeão alemão também se beneficiaria com a chegada dele para substituir Lukasz Piszczek. Das cinco maiores ligas da Europa - França, Espanha, Itália, Inglaterra e Alemanha - lhe faltam duas. Ir a Dortmund deixaria apenas a Premier League fora da coleção do jogador. 

5. Superliga Chinesa: Seria um caminho mais tranquilo para o jogador, se o seu objetivo for se conduzir para o fim de sua carreira. Por lá, ele poderia se reencontrar com vários compatriotas, como Oscar, Hulk, Paulinho e Talisca. Com nível técnico bem mais baixo que na Europa, o país asiático ao menos garantia um fim de carreira bastante exótico para o lateral.  

ESPN.com.br/MSN