Segunda-feira, 24 de junho de 2019

Equador e Japão empatam, são eliminados e colocam Paraguai no caminho do Brasil

Compartilhar:  
Em jogo de muitas chances no Mineirão, Nakajima e Mena marcam, mas resultado tira os dois times da Copa América – paraguaios "sobrevivem" e enfrentam Seleção na quinta, em Porto Alegre
  • Paraguai comemora!

    O empate por 1 a 1 entre Equador e Japão na noite desta segunda-feira, no Mineirão, teve apenas um beneficiado: o Paraguai, que sobrevive na Copa América e será o adversário do Brasil nas quartas de final, quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), em Porto Alegre. O Japão jogou melhor, abriu o placar com Nakajima, mas sofreu o empate após jogada aérea que resultou em gol de Mena. No fim, os dois times perderam muitas chances (31 finalizações no total) e foram eliminados juntos na competição.

  • Como fica?

    Com o empate, o Equador ficou com um ponto, na lanterna do Grupo C da Copa América. O Japão foi a dois e ficou em terceiro, mas, na disputa com o Paraguai, terceiro do Grupo B, perde no saldo de gols (-4 dos japoneses, -1 dos paraguaios). O Peru, terceiro do A, também se classificou. 

  • Pior público da Copa América

    Foram apenas 9.729 presentes no Mineirão – sendo míseros 2.106 pagantes. A renda foi de R$ 301.525,00. Na torcida, muitas crianças ajudaram a dar algum clima ao jogo, que valia muito para as duas equipes, mas terminou com Equador e Japão eliminados.

  • Primeiro tempo

    Com a bola no chão, o Japão foi muito mais time do que o Equador: mostrou velocidade, aproximação de seus meias e ótimas tabelas entre Kubo, Miyoshi e Nakajima – este último abriu o placar ao aproveitar sobra da dividida entre Domínguez e Okazaki e tocar pelo alto para chegar ao gol, aos 16 minutos (o lance só foi confirmado após consulta ao VAR). O mesmo Nakajima quase marcou um golaço por cobertura na sequência. O problema japonês é que o Equador achou o caminho pelo alto. Com um time de maior estatura, os sul-americanos chegaram ao empate após lance combinado dos dois zagueiros, Mina e Arboleda, que terminou em rebote do goleiro Kawashima nos pés de Mena: 1 a 1.

  • Segundo tempo

    O segundo tempo foi um festival de gols perdidos. Até os 31 minutos o jogo foi mais disputado, sem muitas chances, mas a partir do chute perigoso de Velasco, a partida mudou. Aos 40 minutos, Nakajima teve a primeira chance e Domínguez defendeu. Aos 44, Maeda recebeu um belo passe de Kubo, saiu cara a cara com o goleiro e chutou em cima dele. Aos 46, Preciado quase classificou o Equador ao tirar tinta da trave em um chute pela esquerda. E ainda tinha tempo para mais um gol perdido. Aos 48, Nakajima recebeu um bolão na marca do pênalti, parou, pensou, chutou e foi travado na hora certa. No rebote, Kubo marcou em posição de impedimento.

  • Globoesportes.com