Sexta-feira, 26 de abril de 2019

Leclerc sobra e comanda 1-2 da Ferrari no segundo treino livre do GP do Azerbaijão. Hamilton é 3º

Compartilhar:  

O segundo treino livre da Fórmula 1 em Baku começou pontualmente às 10h (em Brasília), apesar dos problemas que a pista teve no TL1 e do atraso na programação da F2. A temperatura caía mais um pouquinho, passando para 18ºC.

O início da atividade era completamente diferente do padrão. Por conta de um TL1 em que simplesmente 18 carros não cravaram voltas rápidas pelo incidente de George Russell com o bueiro, todo mundo começou o TL2 já na pista para recuperar o tempo perdido.

E foi logo de cara que Valtteri Bottas mostrou qual seria a tônica da sessão, com muitas escapadas e uma série de erros. O finlandês escapou, Daniel Ricciardo fez o mesmo e até Lewis Hamilton passou reto na curva do Castelo.

Na tabela de tempos, a dupla da Mercedes começava se revezando na frente, mas com marcas ainda bem altas, perto de 1min50s. Kimi Räikkönen baixou para 1min47s, batido logo depois por Kevin Magnussen, mas ainda tinha muito a cair nos tempos.

Aí veio Charles Leclerc e um bom e um mau momento. O bom foi assumir a liderança com 1min44s748, virando 0s7 abaixo da marca de Hamilton, na frente de Vettel e Bottas. Só que o monegasco também deu uma leve batida no muro, sem comprometer muito o carro, mas assustando.

Quem comprometeu mesmo foi Lance Stroll. Em uma batida muito estranha em que pareceu crer que poderia corrigir uma curva no braço, o canadense foi de frente no muro, soltou a faixa de patrocínio da curva no meio da pista e arrebentou a suspensão da Racing Point. Era fim de TL2 para ele e pausa grande na atividade.

Quando a bandeira verde voltou a ser acionada, Vettel era quem errava a curva no começo, enquanto Leclerc seguia botando volta rápida atrás de volta rápida. O #16 fez 1min43s5 e, depois, puxando o vácuo de Vettel, cravou 1min43s376.

Depois de um começo esquisito, a ordem dos primeiros colocados se ajustava ao natural. Enquanto Vettel passava Leclerc e liderava com 1min43s196, Hamilton, Bottas, Pierre Gasly e Max Verstappen surgiam no top-6 básico de sempre.

Grande destaque do GP da China ao sair de último para décimo, Alexander Albon já vinha andando bem antes em Baku, mas fez duas voltas muito boas. O tailandês, primeiro, superou Verstappen. Depois, passou também Gasly, entrando no top-5 1s6 atrás de Leclerc, que retomava a ponta com 1min42s872.

Albon e Gasly se embolavam na briga pela quinta posição, com o tailandês conseguindo melhorar a marca para 1min44s216 e o francês aparecendo em 1min44s240. Aliás, Gasly era mais um a escapar, enquanto Ricciardo fazia o mesmo na volta seguinte pela terceira vez na sessão.

A McLaren não estava grandes coisas até Sainz achar um giro excelente em 1min44s183, o suficiente para entrar provisoriamente no top-5. Só que o espanhol logo saiu de lá quando Verstappen calçou os pneus macios, ficando 0s9 atrás de Leclerc e 0s4 abaixo de Gasly.

Enquanto Pérez era mais um a passar reto, Norris subia para décimo e Kvyat mostrava que a Honda realmente melhorou bastante de reta, com um terceiro setor muito veloz, como já acontecia com os outros bólidos da marca de energético. Só que aí Kvyat, em sexto, colocou tudo a perder. O russo, que perdeu parte do TL2 nos boxes, espancou o muro e causou a segunda bandeira vermelha.

A bandeira verde voltou com pouco mais de 15 minutos pela frente e o top-10 apontava Leclerc, Vettel, Hamilton, Verstappen, Bottas, Kvyat, Sainz, Albon, Gasly e Norris. 

MSN