Domingo, 09 de junho de 2019

GP do Canadá: Hamilton mantém o domínio e vence a quinta no ano após punição polêmica a Vettel

Compartilhar:  
foto AFP
Sebastian Vettel foi ao limite para tentar segurar a liderança do GP do Canadá. Mas, no fim, não suportou a pressão de Lewis Hamilton. Ao cometer um erro na freada da curva 4, o alemão forçou a volta à pista, bloqueando a ultrapassagem do rival. Acabou punido em cinco segundos e abriu o caminho para que o inglês da Mercedes vencesse o GP do Canadá neste domingo. O piloto da Ferrari precisou se contentar com o segundo lugar em Montreal - e não ficou nada feliz com isso. Foi a quinta vitória de Hamilton na temporada e a 78ª na carreira do pentacampeão mundial. A briga pela vitória foi a única a empolgar no Circuito Gilles Villeneuve. Sem ser ameaçado, Charles Leclerc completou o pódio em terceiro lugar. Em quarto, Valtteri Bottas até conseguiu ganhar duas posições com sua Mercedes em relação à largada, mas sem muito brilho. Em outro duelo particular, Max Verstappen, da RBR, levou a melhor sobre o ex-companheiro Daniel Ricciardo, da Renault, e fechou em quinto lugar. Depois de uma boa largada, Vettel viu Hamilton voltar muito mais rápido à pista após a parada nos boxes. O piloto alemão tentou tudo o que pôde para suportar a pressão. Um erro na curva 4, porém, deixou a possível vitória mais distante. A partir dali, Hamilton esperou pela decisão dos comissários e passou a poupar o carro. Quando a punição ao rival foi anunciada, viu o caminho livre para cruzar a linha de chegada em segundo, mas ainda assim garantir a vitória.

Com o triunfo, Hamilton se isolou na liderança do Mundial, com cinco vitórias e 162 pontos. Bottas segue em segundo, com 132. Vettel aparece em terceiro, com 100.

A próxima etapa da temporada da Fórmula 1 será na França, no circuito de Pau Ricard, no dia 23 de junho, daqui a duas semanas.

Vettel, claro, não ficou nada feliz com a punição. O piloto alemão deixou o carro na entrada dos boxes, longe da área designada. Ainda com o capacete, cruzou o autódromo, passou pelo box da Mercedes e se dirigiu à sala de espera para o pódio. Antes, protagonizou a cena do ano da Fórmula 1. Revoltado, trocou as placas com as posições finais da corrida: tirou o 1º lugar da frente do carro da Mercedes e colocou onde deveria estar o seu.

Muito aplaudido, Vettel não esboçou qualquer sorriso na premiação. Sem jeito, Hamilton até festejou. Tentou apaziguar os ânimos e colocar o rival no lugar mais alto do pódio, mas ouviu vaias da torcida em resposta. Por isso, reclamou: "Não entendo por que estou sendo vaiado". Vettel, então, eximiu o heptacampeão de qualquer culpa. Logo depois, porém, deixou o pódio sem se despedir.

Hamilton, o vencedor: "Absolutamente este não é o jeito que eu quero vencer. Eu forcei o erro e ele saiu da pista. Nós quase colidimos, mas isso é uma corrida".

Sebastian Vettel, o segundo colocado: "As pessoas não deveriam vaiar Lewis. Eu realmente gostei da corrida e da torcida. Lewis foi um pouco mais rápido, mas nós conseguimos mantê-lo atrás. Pergunte às pessoas o que elas acham".

Charles Leclerc, o terceiro colocado: "Eu estou realmente feliz com o meu desempenho. Nós fomos muito rápidos. O ritmo de corrida foi forte. Eu estou desapontado pelo time, não sei o que aconteceu (com Seb), mas a equipe merecia a vitória hoje".

- É a sétima vitória de Hamilton no Canadá na carreira, igualando Michael Schumacher, maior vencedor da prova. É, também, a primeira vez em 2019 que a Ferrari coloca seus dois pilotos no pódio; A largada

 

 

Vettel não podia esperar uma largada melhor. O alemão segurou a liderança e abriu um segundo de vantagem já na primeira volta. Hamilton foi pressionado por Leclerc, mas conseguiu se manter em segundo lugar, à frente do piloto da Ferrari e de Daniel Ricciardo, da Renault. Quem se deu mal foi Bottas, que perdeu o sexto lugar para Hulkenberg e caiu para sétimo. O único incidente foi com Alexander Albon, da STR, que perdeu o bico de seu carro ao ser fechado por Kimi Raikkonen. Um pedaço do carro foi parar dentro do cockpit de Grosjean, que precisou tirar com a mão.

Por GloboEsporte.com — Montreal, Canadá