Quinta-feira, 16 de maio de 2019

Bolsonaro se encontra com George W. Bush nos EUA

Compartilhar:  
© Reprodução Presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta 4ª feira (15.mai.2019) em Dallas, nos EUA, com o ex-presidente americano George W. Bush. Segundo o militar, no encontro, os 2 falaram sobre os assuntos “mais variados possíveis”.

“Logicamente, é tradição dos ex-presidentes não se envolver na política atual, nem criticar, ou elogiar o presidente de momento. Mas o que ele nos falou mostra uma democracia bastante amadurecida aqui, gostaria que isso chegasse ao Brasil”, disse à imprensa.

O presidente também postou uma foto com o ex-presidente norte-americano no Twitter. “Uma saudável e produtiva conversa. Seguimos trabalhando e buscando conquistar cada vez mais a confiança do mundo no Brasil”, disse. © Fornecido por Poder360 Jornalismo e Comunicação S/S LTDA.

Bolsonaro afirmou ainda que também conversou com Bush sobre a Venezuela e sobre a Argentina.

“Rapidamente passei da Venezuela pra Argentina, porque na Argentina há possibilidade de voltar a senhora ex-presidente [Cristina Kirchner]. E, em voltando, nós podemos correr risco de a economia deles não indo bem e o populismo voltar àquele local, nós temos uma nova Venezuela no sul da América do Sul”, afirmou.

Questionado se o ex-presidente norte-americano também se preocupava com o futuro da Argentina, Bolsonaro respondeu: “Com toda certeza, pelo semblante, acredito que sim”.

Sobre as manifestações contra os cortes na educação, que marcaram 4ª feira (15.mai.2019) no Brasil, Bolsonaro diss que acompanhou os atos pela internet.

“Tem o General Heleno aqui, que é o chefe do gabinete de segurança institucional, que periodicamente me passa informações do que está acontecendo lá”, disse o presidente, que mais cedo chamou os participantes dos protestos de “idiotas úteis” e “massa de manobra”. Homenagem em Dallas

O presidente está em Dallas para receber uma homenagem de “Pessoa do Ano” da Câmara de Comércio Brasil-EUA que originalmente estava prevista para ser entregue em Nova York.

Em 3 de maio, Bolsonaro cancelou a viagem para Nova York após uma série de episódios demonstraram a oposição ao evento. Pelo menos 3 empresas patrocinadoras retiraram seus apoios ao saber da participação de Bolsonaro.

Questionado na última 5ª feira (9.mai.2019) se o prefeito de Dallas havia convidado Bolsonaro para visitar a cidade texana, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que “o convite inicial realizou-se a partir do ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e os outros eventos estão sendo coordenados entre a nossa chancelaria e as autoridades americanas que gostariam de participar desse processo”.

A assessoria de George W. Bush disse em nota ao G1 nesta 4ª feira (15.mai.2019) que o ex-líder americano “não esteve envolvido na organização da viagem e não fez o convite para a vinda [de Bolsonaro] a Dallas”.

“Mas claro que ele concordou em encontrar o Presidente Bolsonaro em seu escritório quando soube de sua visita à cidade – uma cortesia que ele regularmente faz a dignitários quando estão na área – e teve um bom encontro com ele”, diz a nota.

Bolsonaro disse nesta 4ª feira (15.mai) que “quando foi decidido vir pra cá, logicamente o nome do Bush foi levado em conta, e interessava a gente ter esse contato com ele, e pronto ele se manifestou favorável também. Então tivemos uma reunião bastante proveitosa”.

MSN