Domingo, 26 de maio de 2019

Eduardo Bolsonaro e Heloísa Wolf se casam no Rio

Compartilhar:  
Deputado federal Eduardo Bolsonaro se casa com a psicóloga Heloísa Wolf em Santa Teresa, no Rio — Foto: Reprodução/Instagram
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e a psicóloga gaúcha Heloísa Wolf se casaram neste sábado (25), em uma casa de festas em Santa Teresa, na região central do Rio de Janeiro, com cerimônia para cerca de 150 convidados. Estavam presentes o presidente Jair Bolsonaro, pai do noivo, e os irmãos mais velhos, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) e o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Um forte esquema de segurança foi montado no bairro. O caminho a partir do Cosme Velho, na Zona Sul, até o local da cerimônia era patrulhado por homens da Polícia do Exército. Homens da Polícia Militar ocupavam vários pontos da Avenida Almirante Alexandrino. Além disso, um veículo blindado da PM estava no acesso principal do Morro dos Prazeres. O presidente chegou pouco antes das 17h e foi embora às 20h. Logo depois, comemorou em uma rede social o casamento do filho Eduardo, com uma foto dele ao lado da primeira dama, Michelle Bolsonaro: "Acompanhando o casamento do meu 03, Eduardo Bolsonaro, junto de minha esposa Michelle Bolsonaro. Desejamos toda a felicidade ao casal e que Deus abençoe essa união! Bom final de sábado a todos". A cerimônia religiosa foi celebrada pelo pastor Pedro Litwinczuk, de 53 anos, da Igreja Comunidade Batista do Rio, na Barra da Tijuca. Ele é conhecido pelos fiéis como um pastor descolado e descontraído. Márcia Santiago, cerimonialista e assessora do casamento de Eduardo e Heloísa, falou antes da festa sobre o esquema de segurança. "O maior desafio é conjugar os protocolos oficiais e atender aos pedidos da segurança oficial. Esse trabalho de segurança não é da minha equipe direta, mas precisa ser coordenado. No mais, será um casamento simples, assim como os noivos são. Eles não gostam de extravagâncias, então estamos trabalhando com as coisas de forma natural e com o requinte necessário." Márcia disse ainda que a decoração é intimista e bem romântica. "A única exigência da noiva foi que colocássemos hortênsias nos arranjos. As cores serão em tons pastel e a decoração floral seguirá um mix de flores nobres com ênfase nas hortênsias. Organizei o casamento da Helô e do Eduardo com todo carinho e empenho que coloco em todos os meus demais trabalhos", afirmou a cerimonialista.

Eduardo e Heloisa se conheceram no final de 2016, em Santa Catarina. Quase dois anos depois, ficaram noivos em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Eduardo e Heloisa fizeram um ensaio pré-casamento na praia da Reserva, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, no início do mês de abril. Os dois foram fotografados por Davi Nascimento, também responsável pelos cliques da festa. "Eles quiseram as fotos como as outras pessoas fazem, sem querer estar acima dos outros. Fiquei na casa deles para fazer o ensaio e eles se preocuparam em saber as coisas que eu gostava. Deixaram uma dieta fit pra mim. É um carinho que a gente não encontra muito, não é comum", elogia Davi.

O vestido da noiva foi assinado pela estilista Marie Lafayette, a mesma que desenhou o vestido de casamento de Michelle Bolsonaro, mulher do presidente, e também o modelo usado pela primeira-dama na posse de Jair Bolsonaro.

Michelle Bolsonaro foi uma das madrinhas do casal (foram oito casais no total) e passou o dia ao lado de Heloísa e outras madrinhas na véspera da festa. Em um momento descontraído, a primeira-dama aprendeu a tirar foto com câmera profissional para clicar a noiva junto com o fotógrafo.

Já Eduardo vestiu um traje confeccionado pelo estilista Eduardo Guinle, composto por um terno com colete azul celeste de jacar prata claro.

Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) está no segundo mandato na Câmara dos Deputados. Nas eleições de 2018, recebeu 1.814.443 votos e atingiu a marca de deputado federal mais bem votado da história do país. É o atual presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara e tem participado de missões oficiais no exterior, o que lhe valeu o apelido de “chanceler informal” do governo Jair Bolsonaro.

Por Carlos Brito, Mateus Almeida e Patrícia Teixeira, G1 Rio