Quinta-feira, 11 de julho de 2019

Polícia Civil solicita novo prazo por investigação de tablet desaparecido de Najila

Compartilhar:  

Segundo Najila Trindade, tablet contém provas do suposto crime sexual cometido por Neymar em encontro em hotel de Paris

Ainda sem resolução, a Polícia Civil solicitou nesta quarta-feira (10) a prorrogação do prazo de investigação do suposto arrombamento ocorrido no antigo apartamento de Najila Trindade, em São Paulo. Após os 30 dias previstos de investigação, o caso permanece sem uma conclusão, e por conta disso foi pedido à Justiça para estender o tempo do inquérito e haver um novo prazo para novas investigações.

Najila Trindade, modelo de 26 anos, acusa Neymar de estupro no dia 15 de maio, em encontro dos dois em um hotel em Paris. Como prova do suposto crime ocorrido pelo jogador do PSG, a mulher alega haver imagens do ocorrido em um tablet pessoal. No entanto, ela afirma que seu apartamento foi arrombado e seu aparelho foi furtado dentro de seu estabelecimento.

O tablet teria um vídeo do segundo encontro entre ela e o atacante e provaria o suposto crime sexual feito pelo camisa 10, de acordo com a versão que a modelo apresenta.

A Polícia Civil começou as investigações por conta do sumiço do tablet em 6 de junho, um dia depois à suposta invasão no apartamento de Najila Trindade. Ela deixou o imóvel em 1º de julho por conta de atrasos no aluguel. O prazo para a apuração do ocorrido era válido até o último sábado (6), o que fez a Polícia solicitar uma nova data.

No momento, para o prosseguimento do caso é aguardado a resposta do Ministério Público, que irá decidir entre o arquivamento do caso ou uma nova apuração.

A Polícia Civil insiste em buscar pelo tablet, que pode ser crucial para a resolução do caso. Tendo provas contundentes ou não, de qualquer forma as investigações terão outro rumo. Segundo Najila, o vídeo original estava em seu celular, perdido em 7 de junho, no primeiro dia de seu depoimento.

MSN